5 benefícios de combinar sistemas ERP com a cadeia de suprimentos

Os sistemas ERP têm se mostrado cada vez mais presentes nas empresas, independentemente do porte do negócio. Esses sistemas contribuem, significativamente, para a produtividade e a eficiência, integrando, de forma especial, os diferentes setores da empresa.

Os processos logísticos relacionados à cadeia de suprimentos costumam trazer altos custos para as empresas. Porém, é possível combinar sistemas ERPs com a cadeia de suprimentos de modo a usufruir de diversos benefícios.

Veja quais são eles!

1. Integração das áreas envolvidas

Para obter mais eficiência na gestão da cadeia de suprimentos, convém integrar a área de logística aos setores de marketing, compras, vendas e estoque. Assim deve ser porque as atividades dependem umas das outras para atingir o melhor desempenho, alcançar as metas pré-definidas e gerar lucros para a empresa (tanto por conta da redução de custos, como por meio da intensificação entre procura e oferta).

O ERP garante que essa integração seja feita de forma automatizada, permitindo mais segurança e confiabilidade no fluxo de informações. Veja o exemplo a seguir e entenda por que um ERP combinando à cadeia de suprimentos produz bons resultados.

Determinada empresa dispõe de um estoque muito grande, mas a maior parte dos itens não tem saída. É preciso que essa informação chegue ao setor de marketing para que os profissionais responsáveis desenvolvam uma campanha que motive o consumidor a comprar esses produtos, aumentando, assim, o nível de sua liquidez. Caso contrário, o capital de giro continuará imobilizado, o que provavelmente gerará perdas, inclusive se os itens ultrapassarem o prazo de validade.

Aproveitando ainda o exemplo acima, a integração proporcionada pelo ERP vai permitir que a equipe responsável pelo abastecimento do estoque planeje a compra dos produtos com os fornecedores conforme suas reais necessidades. Na falta de integração, essa equipe acabará adquirindo sem critérios mais produtos com pouca ou nenhuma rotatividade, gerando perdas para o negócio.

Levando em conta o nível de abrangência dos setores de sua empresa e de todos os elementos envolvidos nos processos, o fluxo adequado de informações vai ajudar no melhor direcionamento dos investimentos, no planejamento estratégico e, finalmente, na satisfação do cliente.

2. Identificação de gargalos nos processos

Outro benefício em combinar um ERP à cadeia de suprimentos é que ele ajuda a identificar gargalos nos processos da empresa. O software permite atribuir tarefas específicas a cada funcionário, conforme seu perfil, bem como definir uma hierarquia para a sua execução.

Assim, a partir dessa atribuição de atividades e nível de importância, o gestor poderá facilmente identificar erros e saber quais causas os provocaram.

Em relação ao estoque, também será bem mais fácil identificar falhas. Será possível, por exemplo, produzir um inventário mais detalhado e fazer comparações entre os itens apresentados no sistema e aqueles que realmente estão disponíveis, sendo bem mais fácil detectar a ausência não programada de um produto, ou seja, uma saída não autorizada. Pequenos desvios de estoque costumam provocar sérios problemas financeiros e, muitas vezes, eles acontecem sem que o gestor se dê conta disso, restando somente arcar com os custos das perdas.

3. Atualização das informações em tempo real

Esse é outro grande benefício de associar seu ERP à cadeia de suprimentos. O gerenciamento automatizado tem a vantagem de não somente melhorar o fluxo de informações dentro da empresa, mas também de aprimorar a acessibilidade a elas, que pode ser feita em tempo real.

Todas as alterações promovidas são visualizadas no tempo exato de sua modificação. O gestor poderá desenvolver planos de ação mais adequados e tomar decisões acertadas.

4. Satisfação do cliente

O cliente fica satisfeito quando o atendimento corresponde (ou vai além) de suas expectativas. O bom atendimento envolve atividades como tratamento cortês e adequado, resposta aos seus questionamentos e dúvidas, orientação sobre os produtos que ele deseja adquirir, entre outras coisas.

Mas o atendimento envolve, ainda, a necessidade de registrar seu pedido e fazer a requisição do produto correto no estoque para a entrega domiciliar. Nesse ponto, mais uma vez o ERP trará sua contribuição, evitando erros de anotação de pedido e de solicitação. A integração entre essas duas áreas (vendas e estoque) reduz as possibilidades de equívocos no despacho da mercadoria, além de otimizar o lead time (ou seja, o tempo transcorrido entre a realização do pedido e a entrega no endereço escolhido pelo cliente).

Outros pontos em que o ERP se mostra valioso são em relação à disponibilidade dos produtos no estoque e à eficiência dos processos que envolvem a logística reversa, isto é, as trocas e devoluções. Mesmo que o produto correto seja enviado, podem acontecer problemas como danos durante o transporte ou mau funcionamento.

Por isso, é importante testar sempre o produto antes de despachá-lo e acondicioná-lo em embalagens adequadas e da forma certa no veículo. A empresa deve esforçar-se para evitar trocas e devoluções, mas quando elas acontecerem, o ERP facilitará o processo.

Para garantir a entrega da mercadoria dentro do prazo, contar com um bom sistema automatizado é uma estratégia eficaz, principalmente porque é possível integrá-lo a outros sistemas, como rastreamento e monitoramento de veículo e carga.

Além disso, o cliente ficará satisfeito só em saber que sua empresa utiliza softwares para gerenciamento das atividades, oferecendo serviços de boa qualidade e suporte avançado. Finalmente, todas as questões relacionadas à satisfação do cliente poderão ser resolvidas com eficiência pelas equipes envolvidas, trabalhando em função de um objetivo único, com todas as informações fornecidas pelo ERP bem alinhadas e direcionadas.

5. Pontos específicos no controle de estoque

Vale a pena dedicar algumas linhas para avaliar os benefícios que o ERP combinado à cadeia de suprimentos pode trazer para o estoque em particular. Por meio de um gerenciamento automatizado, o fornecimento será melhor disponibilizado, com cálculos precisos do ciclo de vida do estoque ― das compras até as vendas.

Conforme já foi dito, esse controle vai favorecer o equilíbrio entre um estoque muito cheio e um estoque carente, sendo que, em ambos os casos, a empresa sai ganhando. Será possível desenvolver um processo colaborativo com métricas, indicadores e dados de previsão de demanda e de reposição.

Ainda, os processos de identificação dos itens serão otimizados por meio da leitura do código de barras ou do uso da radiofrequência, bem como do uso de aplicativos de rastreabilidade de estoque.

Quer saber mais fale conosco !